slide1
Relatórios de Sustentabilidade

Coleta seletiva no escritório e no canteiro de obras

Preocupação com o bem estar dos funcionários:
Alojamento bem estruturados, Plano de saúde,
PCMSO e PGR rigorosos.

REALIZAÇÕES

SAIBA MAIS [+]
slide02

Estacas Hélice Contínua

Estacas Hélice Contínua

São estacas de concreto moldadas “in loco”, executadas por meio de introdução no terreno, por rotação de um trato helicoidal circundante a uma haste tubular central e injeção de concreto bombeado, pela própria haste tubular, simultaneamente com a sua retirada, sem rotação.

METODOLOGIA EXECUTIVA

O trado contínuo é composto de chapas em forma de hélice que se desenvolvem em torno de um tubo central. Sua extremidade inferior é composta de garras que permitem cortar o terreno de uma tampa destinada a impedir a entrada de solo no tudo central durante a escavação e permitir a saída de concreto durante a concretagem.
A perfuração consiste na introdução da hélice no terreno por meio de movimento rotacional proveniente de motores hidráulicos acoplados na extremidade superior da hélice, até a cota de projeto, sem que em nenhum momento, a hélice seja retirada da perfuração.
Devido a esta principal característica das estacas hélices contínua, a de não permitir alívio do solo durante as etapas de escavação e concretagem, torna-se possível a sua execução tanto em solos coesivos com arenosos, na presença ou não de lençol freático.

1. PERFURAÇÃO

Metodologia-Estaca-helice_sequenciaO trado contínuo é composto de chapas em forma de hélice que se desenvolvem em torno de um tubo central. Sua extremidade inferior é composta de garras que permitem cortar o terreno de uma tampa destinada a impedir a entrada de solo no tudo central durante a escavação e permitir a saída de concreto durante a concretagem.
A perfuração consiste na introdução da hélice no terreno por meio de movimento rotacional proveniente de motores hidráulicos acoplados na extremidade superior da hélice, até a cota de projeto, sem que em nenhum momento, a hélice seja retirada da perfuração.
Devido a esta principal característica das estacas hélices contínua, a de não permitir alívio do solo durante as etapas de escavação e concretagem, torna-se possível a sua execução tanto em solos coesivos com arenosos, na presença ou não de lençol freático.

2. CONCRETAGEM

Alcançada a profundidade desejada, o concreto é bombeado através do tudo central. Neste momento, a hélice passa a ser extraída do terreno através do equipamento, sem girar ou girando lentamente no sentido da perfuração. A pressão do concreto ( obrigatoriamente positiva) é controlada de forma que este preencha os vazios causados pela extração da hélice, até a superfície do terreno, ou atinja a cota de topo da estaca, se esta for inferior a da superfície.
O concreto normalmente utilizado apresenta resistência característica fck de 20 MPa, é bombeável e composto de areia, pedrisco ou brita tipo um. O consumo de cimento varia de 350 à 450 quilos por metro cúbico, sendo facultativa a utilização de aditivos. O abatimento ou “slump” é mantido entre 200 e 240mm.

Normalmente é utilizada bomba de concreto acoplada ao equipamento de perfuração através de mangueira flexível de 100mm de diâmetro interno.

A velocidade de extração de hélice do terreno deve ser tal que mantenha a pressão de injeção do concreto positiva. O preenchimento da estava com concreto é normalmente executado até a superfície de trabalho, sendo possível o seu arrastamento abaixo de superfície do terreno, guardadas as precauções quanto a estabilidade do furo no trecho não concretado e a colocação da armação. A limpeza da hélice pode ser feita manualmente ou por limpador de acionamento hidráulico ou mecânico acoplado ao equipamento.

3. Colocação de  Armadura

O método de execução da estaca hélice contínua exige a colocação da armadura após a sua concretagem.

A armadura, em forma de gaiola, é introduzida na estaca por gravidade, com auxílio de um pilão de pequena carga ou de um vibrador.

As estacas submetidas a esforços de compressão levam uma armação no topo, em geral de 2 metros de comprimento. No caso de estacas submetidas a esforços transversais ou de tração será possível a introdução de armação de maior comprimento já tendo se conseguindo a introdução de 17 metros de armação. No caso de armações longas, as gaiolas devem ser constituídas de barras grossas e estribo espiral soldado na armação longitudinal para evitar a sua deformação durante a introdução no fuste da estaca.

Metodologia-Estaca-helice_tabelas

Carregando...